Knut Hamsun usava pince-nez*

QUEM LEU Fome, de Knut Hamsun, sabe como é angustiante um personagem cuja única motivação é comer. Henry Miller idolatrava Hamsun, que tem até hoje fama de maldito, o que é esquisito porque o norueguês recebeu um Nobel de literatura. A perspectiva em Fome é ainda mais particular porque o sujeito, mortificado pela fome, delira sobre o artigo fantástico para o jornal da cidade que resolverá seus problemas financeiros e alimentares. Aos poucos, constrói teses e filosofa, sempre na esperança de deixar de ser faminto. Sombrio e patético.

A fome não é contornável. É um achado o personagem não ser um pobre típico. Não há quase nada no livro que possa ser chamada de denúncia social. O narrador mergulha na autopiedade, mas não esconde que tudo aquilo é decorrência de suas próprias atitudes.

Hamsun apoiou os nazistas que ocuparam a Noruega. Depois da guerra, foi multado e internado em um hospital psiquiátrico. Quando teve alta os noruegueses mandavam seus livros de volta pelo correio ou atiravam-nos no jardim da casa onde morava. Apenas no fim da vida foi reabilitado. Suas atitudes políticas não o diminuem como escritor. Fome e Não consegue fugir comprovam.

E Knut Hamsun, como mostra a foto,  também usava pince-nez.

(* escrito em 2007, reescrito agora)

About Alexandre Rodrigues

Alexandre Rodrigues não acredita no terceiro segredo de Fátima.
This entry was posted in Insanidade. Bookmark the permalink.

4 Responses to Knut Hamsun usava pince-nez*

  1. Pardal says:

    Putz, não conhecia esse livro. Tenho que pesquisar por aqui.

  2. Henry Miller é o meu deus particular e maldito da literatura.
    A cada página da Crucificação Encarnada, eu me rendia.
    E, claro, vez ou outra, me perdia por linhas e entrelinhas de referências.
    Hamsun, possivelmente é uma delas.
    Está anotado. Apesar de.
    😉

  3. Henry Miller é o meu deus particular e maldito da literatura.
    A cada página da Crucificação Encarnada, eu me rendia.
    E, claro, vez ou outra, me perdia por linhas e entrelinhas de referências.
    Hamsun, possivelmente é uma delas.
    Está anotado. Apesar de.
    😉

  4. o interessante é que no sexus, miller dizia que a secretária de hamsun havia entrado em contato com ele, e miller ficava depecionado com o pedido de seu ídolo, como se hamsun estivesse numa decadência sem fim. ficção ou realidade?

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s