A mais longa história de todas

A história, impressa na capa da revista Opium, tem nove palavras. Mas graças ao processo de impressão, uma dupla camada de tinta, exposta à luz ultravioleta cada palavra só vai se revelar mais ou menos a cada cem anos.

Por volta de 3009, se um exemplar ainda restar, se um curioso ainda existir a respeito, finalmente poderá ser lido inteiro o conto  “The longest story ever”, de Jonathon Keats, que não é escritor, mas artista conceitual.

O que me leva a imaginar nove palavras que possam ser lidas como algo digno de se ler, não apenas uma curiosidade,  algo mil anos no futuro. Eu escreveria o seguinte:

Desculpe, mas continuamos fazendo as coisas do jeito errado.

About Alexandre Rodrigues

Alexandre Rodrigues não acredita no terceiro segredo de Fátima.
This entry was posted in literatura. Bookmark the permalink.

2 Responses to A mais longa história de todas

  1. blackpowerx says:

    Interessante, mas acho que o papel se decompõe em, no máximo, uns 5 anos, se plastificado.

  2. Bender says:

    Douglas Adams diria “We apologize for the incovenience”

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s