Longa descida rumo ao nada

CLARO, HOUVE ALGUM BARULHO QUANDO ELE anunciou  “É isso” e disse que iria fazer seus últimos shows em Londres em julho. Uns poucos fãs gemiam em seus cachecóis de souvenir. Mas a histeria não era nada comparada ao dia em que a Primark (uma loja de roupas) abriu suas portas em Oxford Street dois anos atrás.

Fico triste de verdade com notícias sobre Michael Jackson como neste texto melancólico do The Guardian. Mesmo sem nunca ter sido um fã, sou dos que sentem de verdade por ele. Thriller cortou minha adolescência em duas. Houve um ano em que,  mesmo estudando no meio da zona da mata, interior de Minas, chegava de manhã ao colégio e encontrava um mar de luvas brancas e colegas  de calça curta para deixar a meia, igualmente branca, à mostra.

MJ, um sujeito que precisou viver recluso de tão popular, não atrai mais do que umas poucas pessoas. Está sempre ao alcance do deboche. Não é que não seja mais capaz de fazer nada de bom. As pessoas simplesmente não querem ouvir.

Cruel, muito cruel – diria Januário de Oliveira.

About Alexandre Rodrigues

Alexandre Rodrigues não acredita no terceiro segredo de Fátima.
This entry was posted in Música. Bookmark the permalink.

2 Responses to Longa descida rumo ao nada

  1. Paul says:

    Pedido de um leitor assíduo, embora nunca se faça presente nos comentários: a retirada desse tal de SNAP PREVIEW.

    É um verdadeiro pé no saco.

    Só prá constar: grande blog.

  2. alexandre rodrigues says:

    será resolvido, prometo.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s