Manual do perfeito idiota de classe média

Primeiro ele trabalhou e poupou uma certa quantia pensando numa emergência ou no futuro. Para render mais, pôs o dinheiro na renda fixa, ganhando por anos um bom rendimento, pois a taxa de juros no Brasil estava na alturas, uma das maiores do mundo, etc.

Mas com o passar dos anos começou a ficar incomodado ao ver que a taxa de juros, que estava nas alturas no primeiro ano do governo Lula, andava pela metade. Descontado o imposto de renda, era quase o mesmo do que a poupança. Começou a achar que estava perdendo dinheiro, mesmo que isso não fosse verdade.

Para completar, passando em frente à banca, viu as capas das revistas anunciando que a bolsa de valores era o melhor investimento. Na hora do jantar, o Jornal Nacional noticiava sucessivos recordes da Bovespa. Também havia aquele chato no trabalho que comprou ações da Petrobras com o FGTS e agora contava vantagem. Se torturava com a sensação de que os outros estavam ganhando muito dinheiro, mas ele não.

Foi até o banco e, com certo orgulho, entrou em um fundo de ações. A cada mês, os números saltavam e logo tirava em semanas o lucro de meses e em meses, o rendimento de anos. Tentou convencer os amigos. Mesmo exibindo quase nenhum conhecimento sobre como funcionam as bolsas, seus lucros serviam de autoridade moral. Debochava de quem alertava para os riscos ou avisava que investimento em bolsa nunca deve ser feito de uma vez e sim aos poucos. Com aquela valorização, quem poderia desmenti-lo?

Chegaram as primeiras turbulências e ele chegou a se assustar, mas ali estavam aqueles ex-ministros e aquele ex-presidente do Banco Central na TV para tranquilizá-lo. Garantiam que a queda era normal. O momento era de comprar mais. De tanto ouvir o clichê de que em chinês há uma mesma palavra para crise e oportunidade, pôs mais dinheiro na bolsa para reforçar seu portfólio.

Agora anda deprimido. Suas ações passaram a valer menos da metade e mesmo que os ex-ministros e o ex-presidente do BC ainda estejam na TV o tempo todo, não presta mais atenção neles. A gota d´água foi passar diante da  banca e ver todas as revistas dizendo que a bolsa vai cair. Foi ao banco, vendeu tudo com grande prejuízo e, revoltado, passou a reclamar que a bolsa é um cassino e só serve para os tubarões levarem o dinheiro dos pequenos investidores. Jura que aprendeu a lição e nunca mais fará nada assim.

Mas não é para sempre. Daqui a alguns anos vai passar diante da banca de jornais e, vendo nas capas de revistas que a bolsa está subindo sem parar, não resistirá à vontade de ir ao banco e…

About Alexandre Rodrigues

Alexandre Rodrigues não acredita no terceiro segredo de Fátima.
This entry was posted in Capitalismo, Economia. Bookmark the permalink.

2 Responses to Manual do perfeito idiota de classe média

  1. Isabel says:

    Não posso esconder a sensação de prazer ao ver a especulação e aganância punidas desse jeito. É feio, eu sei, mas…

  2. Otávio Ganas says:

    Momento de glória para os covardes pé-rapados invejosos prudentes e racionais!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s