A máquina de ser

Eu caminhava pela ruas como um peregrino sem seita a seguir.

(A máquina de ser)

Os contos são como devem ser contos: curtos, precisos, densos, nada banais. Há uma variedade de narradores e um modo bem peculiar de narrativa. Têm em geral poucas páginas (são 24 histórias em 146 páginas), mas hora nenhuma dão a impressão de que mais seriam necessárias. Valem-se do inusitado e do trágico com a mesma maestria.

Foi meu primeiro livro de João Gilberto Noll. Aqueles outros três na estante agora parecem muito mais atraentes.

About Alexandre Rodrigues

Alexandre Rodrigues não acredita no terceiro segredo de Fátima.
This entry was posted in literatura. Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s