5,4,3,2,1

***** A idéia de Syunsaku Sishikari é simples, mas nem por isso o efeito deixa de ser inesperado: aplicar colagens de recortes de jornal sobre fotos da própria família. Como resultado, as fotos, destituídas de rostos, se tornam imagens fragmentadas e meio fantasmagóricas, em geral bastante parecidas com pinturas. A intenção, diz o release do autor, é que quem as veja projete as imagens da própria memória no trabalho, mas essa explicação é meio pretensiosa. De todo modo, consegue um belo efeito.

**** Estava há um tempão querendo citar O biscoito fino e a massa. Idelber Avelar escreve bem, é mordaz e sabe usar a ironia. Taí então: como seria se a eleição americana ocorresse em um grêmio escolar.

*** Bruno Mazzeo é vascaíno como eu (rima infame). Mas o post, assim como a bela reportagem da Piauí de dezembro sobre as Ligas Inglesas, vai além da reclamação de torcedor. É sintomático de como o futebol morreu. É um cadáver a ser cultuado por falta de substitutos.

** Já que é verão, homens de neve.

* Momento auto-referencial: aqui, aqui e aqui, para baixar, as músicas de 777, a gravação de improviso d´Os Massa para Deus em 7/7/2007 (resposta ao “disco satânico” 666, gravado em 6/6/2006).

About Alexandre Rodrigues

Alexandre Rodrigues não acredita no terceiro segredo de Fátima.
This entry was posted in Insanidade. Bookmark the permalink.

One Response to 5,4,3,2,1

  1. Idelber says:

    Valeu, Alexandre, obrigado.

    E eu também sou Vasco no Rio (apesar da anta, aquela).

    Abraço e tudo de bom aí na readaptação😉

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s